segunda-feira, fevereiro 06, 2017

Longe de tudo...

Às vezes é preciso estar longe de tudo e todos para se aproveitar a natureza...

Este fim-de-semana na Nova Zelândia teve três dias por isso foi a altura de re-visitar um lugar, que já não íamos desde que a Sofia nasceu, para acampar longe de todos os luxos que estamos habituados e dar essa experiência aos mais novos.

Sem internet, sem rede de telefone, sem electricidade, sem água canalizada... sem nada a não ser natureza por muitos quilómetros...
Como não há cidades, vilas ou sequer aldeias perto, a noite só tem a luz da lua e das estrelas. E estas não parecem ter fim quando se olha no meio da escuridão. E é nestas alturas que realmente se sonha.

A única companhia à noite era outras raras (2 ou 3) tendas de pessoas a acampar perto do lago que também nos dava apoio.

Claro que os nossos carros traziam o essencial para estes dias e mais alguns, em particular muita água e diversas utensílios para o caso de "eventualidades" (que viver numa ilha que gosta de desastres naturais podem sempre providenciar).

E para além de voltar a alguns trilhos conhecidos de 4x4 ainda fomos conhecer alguns trilhos novos de caminhadas, desta vez com companhia.

Como pontos baixos (é sempre bom incluir isto para se perceberem os desafios): as sandflies (tipo um mosquito com uma picadela super chata porque não passa durante semanas - quase escapava sem picadelas -íamos prevenidos - mas ainda apanhei uma quando estava a trocar de calças durante a caminhada e não tinha ainda posto repelente, numa fração de segundo) e a ventania durante a segunda noite que era tão forte que, pelo barulho, parecia que a tenda levantava voo... o maior problema era mesmo esse, o barulho, que não deixava dormir sempre e nos acordou umas quantas vezes (já a Sofia, esse dormiu perfeitamente).

Lake Tennyson (o destino), visto de cima, durante a caminhada .
Várias horas de carro pelo meio de vales para chegar ao destino... 
Uns quantos portões que se tem de abrir...
Alguns com aloquetes e códigos, mas tínhamos feito o trabalho de casa e tínhamos como os abrir (sem ser à força)
Algum terreno mais duro para o carro...

Depois foi a hora de parar e, literalmente, montar a tenda...

À beira do lago...

Longe de tudo e todos...

Hora de jantar da primeira noite... 

O pôr-do-sol...

Com uma vista privilegiada da janela...

Deixar tudo escurecer...

...até ficar só a luz da Lua (que se vê refletida na tenda) e as estrelas...
(se se aumentar a foto dá para ver as estrelas cadentes)

Dia seguinte: caminhada onde é preciso passar alguns rios...

À volta do lago....
E com paisagens diferentes...
Com a nossa pequena simplesmente a ADORAR cada momento da viagem... sem excepção...

Com a ressalva que apesar de longe do mundo, como viajamos com os pequenos tivemos alguns cuidados extra (dos muitos que já é normal termos) e estávamos equipados entre outras coisas: rádio de longa distância com ligação aos serviços de emergência, da ilha (NA FOTO),  extintores, kits de primeiros socorros, comida e água para vários dias e mais umas quantas coisas...

Com o regresso à civilização, e à leitura das notícias, o mundo continua tão maluco como estava antes... ao menos o Porto ganhou (com uma grande defesa do Casillas)

1 comentário:

  1. Olá Rui,

    Já de há muito que acompanho o forúm, porém esta piblicação gostei muito derivado à aventura. Muito boas fotos.

    Precisava de umas informações sobre os vistos. Podes me ajudar?

    meu email: paulodio21@gmail.com

    Meu FB: Paulo Diogo Neves

    Obrigado e um Abraço.

    ResponderEliminar