sábado, setembro 24, 2016

Azelhices (de quem gosta de experimentar aventuras novas)...

Fim de semana para aventura. Destino? Obviamente a neve e puxar as coisas para um nível de dificuldade maior.

No fim da grande caminhada até ao alto da montanha...
Foi assim há duas semanas:
Acordar às 6h da manhã, partida às 6:30 com destino a Broken River (a cerca de 1h20m de Christchurch). 
Vista das montanhas às 7h da manhã no percurso a partir de Chrischurch
Às 8:00,  já depois de fazer parte da montanha com correntes nos pneus, pelo meio da floresta, chegamos ao elevador que dá acesso à base do clube de ski (para o lugar onde os carros já não chegam). 
Montanhas acima... com correntes pelo sim pelo não.
Estacionado o carro, O ELEVADOR NÃO ESTÁ OPERACIONAL POR VÁRIAS HORAS para reparação de problemas técnicos...
Decisão: subir a montanha a pé, 40+ minutos, com botas calçadas e skis às costas (ver primeira foto).

O meu sócio durante o dia...
Com um dia fantástico há que aproveitar ao máximo... 
Um dia de Primavera quer dizer que dá para estar de t-shirt no meio da neve...
... mas a estância tem algumas singularidades (fora a parte da caminhada). Só tem cordas para se subir aos pontos mais altos (bem, na realidade a qualquer ponto). Para isso usa-se um nutcracker, que não é algo muito fácil de se usar (ver vídeo). Embora só tenha caído de forma mais aparatosa duas vezes no dia todo (uma no nutcracker) ficam aqui os registos dos momentos mais embaraçosos (para não mostrar só tudo que é bom).

As azelhices...
Uma queda no nutcracker (com uma visão de quão perigoso é para os dedos) e o tempo que demorei a me levantar de uma queda mais aparatosa porque o ski saltou e estava muito inclinado para o conseguir por de novo.


A caminhada e a parte boa...
Claro que isto é uma aventura fantástica e não podia deixar de ficar o registo de uma experiência que só se pode ter quando se está disposto a fazer alguns sacrifícios...


quinta-feira, setembro 08, 2016

De Cabo Verde à Grécia...

Há precisamente 15 anos estava em Cabo Verde.

Numa altura em que ainda não havia Facebook, Google Maps ou smartphones começou um jornada de viagens para destinos remotos, em comitiva a fazer espectáculos, que me ficam para a vida.
Ainda tinha cabelo, as torres gémeas ainda estava em pé em Nova York (ainda que só por mais 3 dias) e ainda me imaginava num curso diferente (eu troquei de curso no meu terceiro ano de faculdade).

Parece literalmente noutra vida... Foi de facto numa outra vida minha, ou de alguém com parecenças comigo, porque olho para algumas fotos e tenho dificuldade em me reconhecer.
Foram muitos anos de momentos sobretudo fantásticos que terminaram precisamente 11 anos depois na Grécia, numa fase em que já estava em "reforma artística" (faz agora também 4 anos, mesmo antes da mudança para a Nova Zelândia).

Foram 11 anos a viver uma outra vida e que influenciou a minha vida, as minhas relações e as minhas experiências até hoje.  Um blog jamais conseguia descrever o que foi uma experiência para a vida (minha e de muitos) por isso ficam aqui algumas memórias do início e do fim... Pelo meio houve muitas mais memórias e momentos.

Muitos destes momentos foram de tal diversão que filtrei muitas fotos: acho que se se tornassem públicas algumas carreiras profissionais se iam perder...

Ao contrário de todas as outras fotos que aqui publico, estas não foram tiradas por mim. "Roubei" todas dos meus amigos, não "tenho direito sobre elas". Mas todos vivemos estes momentos juntos por isso também as considero "minhas". Se se identificarem como autores, tenho todo o gosto em aqui escrever.

Cabo Verde, 2001...









Grécia, 2012...













segunda-feira, setembro 05, 2016

Datas trocadas...

Hoje foi dia do Pai na Nova Zelândia e já estamos há cinco dias na Primavera...

As datas de eventos especiais no outro lado do mundo celebram-se em dias diferentes. É que nem é estar completamente inversos relativamente a Portugal. É tudo perfeitamente aleatório nestas datas. Aqui as estações começam no primeiro dia do mês, em Portugal estão a par dos solstícios e equinócios do sol.

Por causa disso celebro com o meu pai este dia em Março, não fosse eu nascido em Portugal, e celebro em Setembro com a minha filha (não fosse ela nascida cá). Assim há um dia exclusivo para cada um...



p.s.: e já falta menos de um mês para o dia do trabalhador...