segunda-feira, maio 30, 2016

Winter is coming... again...

Com a chegada de Junho, começa o frio a chegar à "nossa" Ilha Sul.
E se por um lado é altura de ligar os aquecedores é também um altura muito especial porque, rodeados pelos Alpes do Sul, também regressa a época de ski.

Este ano com um sabor especial porque o passe (early bird) de época numa das estâncias teve uma verdadeira promoção onde ao fim de 2 ou 3 visitas já está pago (isto por causa da concorrência das estâncias daqui da zona). Como é relativamente perto de casa (1h20m) e dá para ir e voltar no mesmo dia, já que temos equipamento nosso, acho que vamos pelo menos fazer um dia em cada fim de semana. Quem sabe ainda se tiramos uns dias para ir durante a semana.

Como nota, "early bird" são as promoções que são feitas com muita antecedência. Nem sequer são as promoções feitas antes da época começar. Já temos este nosso passe pago há vários meses, mas agora compensa. Normalmente são as promoções que valem mais a pena (num país onde tudo funciona à base de promoções: se não compraste em promoção, pagaste demais)

E, apesar de ainda faltaram 12 dias para a estância de Mt Hutt (aquela para a qual temos o passe embora tenha condições especiais para outras mais a sul) abrir, já é hora de começar a preparar as coisas... as fotos são dos vários passos dos preparativos...

Começar a tirar o equipamento das caixas...
Pegar nos passes acabados de ser levantados..
Esperar que neve muito no topo da montanha... 
E ver as câmaras para confirmar antes de seguir monte a cima
(foto das câmaras em directo do site do Mt Hutt hoje)



quinta-feira, maio 12, 2016

Dance-O-Mat

Com uma cidade completamente destruída com os terramotos era preciso preencher os vários "vazio" deixados pelos prédios até a cidade ser reconstruída.

Nas nossas primeira fotos a Christchurch, há quase 4 anos, registamos o Dance-O-Mat. Um lugar público que ocupa um lugar vazio onde existiu em tempos um prédio. É uma "máquina de lavar" onde se insere uma moeda e se tem música para se aproveitar o momento. Ao longo dos tempos vai mudando a sua localização.

Foi algo que nos ficou na memória visto ter sido das primeiras coisas que vimos quando chegamos à cidade.

Fotos de 2012

Hoje, mais de 5 anos depois do terramoto, a cidade ainda continua a ser construída. Alguém filmou este vídeo, que acho fantástico, de uma bailarina a dançar no coração da cidade (ao fundo em diversos ângulos está praça principal da cidade) no Dance-O-Mat.

A graciosidade no meio do que pode parecer o caos, mas é na realidade um ponto intermédio até se ter uma cidade reconstruída. Ficam por contar muitas histórias, como aquela do primeiro prédio danificado que se vê no início do vídeo, onde toda a escadaria do prédio caiu no terramoto e centenas de pessoas ficaram presas sem poder sair. Coisas que não se vêem nesta simples dança, porque a vida continua... and nothing else matters...

terça-feira, maio 10, 2016

Wicked Campers

Há diversos assuntos que se discute neste lado do mundo mas que nunca atravessam os oceanos, para serem notícias no estrangeiro, visto não serem suficientemente relevantes. Isso não invalida que algumas destas histórias não sejam dignas de contar.

Quem já se fez à estrada na Nova Zelândia de certo já se deu de caras com centenas de carros ou auto-caravanas de aluguer. Existe diversas empresas e as alternativas são muitas. Mas há uma que se tem sobressaído nos últimos tempos: a wicked campers.

E porque razão esta empresa tem dado nas vistas? Bem, a "arte" que está pintada nos seus veículos é fora do comum e por vezes... digamos que é ofensiva. Em alguns casos ultrapassa mesmo a linha do razoável.

Por essa razão se alguém alugar um caravana da wicked campers agora arrisca-se a:

  • não ser autorizado a entrar num campo de campismo
  • não ser autorizado a entrar num recinto de um festival com estas carrinhas 
  • levar uma multa. 
Se os dois primeiros já aconteceram (e devem acontecer agora cada vez mais) o último já se começa a falar (não sei se já foi aplicado).


Embora ache piada a alguma da arte desta empresa, tenho de admitir que até eu acho que às vezes eles ultrapassam a linha do razoável. Isto tem sido uma discussão que ainda deve demorar mais um pouco a ficar resolvida.

Como aposto que estão é curiosos com o que tem as pinturas de tão especial, aqui ficam alguns exemplos:











Se vierem à Nova Zelândia... há outras alternativas... Mas venham que vale a pena...