domingo, janeiro 17, 2016

Momentos maus...

Estava recentemente a ler um artigo sobre blogs de viagens em que falava "da dor" por trás de muitas das fotografias e dos momentos que partilhavam.

Sinceramente, não considerei o artigo uma novidade:
Viajar, procurar aventuras diferentes leva-nos sempre a momentos menos bons, alguns mesmo maus, ou a iminência assustadora de algo não planeado que acaba por nunca ficar refletido nas fotografias.

Não são essas as histórias que se contam nos blogs e redes sociais (embora se contem a alguns, poucos, amigos). Por essa razão ninguém sabe o que os outros vivem para terem os momentos que se vêem nas fotos. Há muitas coisas boas, é certo, senão não o fazíamos tanto e não haveriam tantos a fazerem-no, mas também há muitas ilusões e sacrifícios que não ficam contados.

Quase ninguém conta os momentos menos bons que algumas fotos tem por trás.

Por essa razão escolhi 19 fotos que com tudo de bom que parecem terem (mesmo não sendo as minhas melhores fotos), tiveram associadas a si momentos que foram desde muito complicados até momentos de pura sorte.

Torre Eiffel - Paris - França
Ao fim do segundo dia da nossa primeira grande aventura a dois (um mês de mochila às costas pela Europa a viajar de comboio) uma das nossas paragens foi um hospital em Paris. Esta foto foi tirada pouco antes da ida para o hospital. Nada de muito grave mas os primeiros dias ficaram muito mais atribulados.

Bad Bentheim - Alemanha
Ainda na mesma viagem, sem conseguir ficar a dormir mais dias em Amesterdão porque os quartos estavam todos esgotados e cansados por causa da passagem pelo hospital de Paris parámos na primeira aldeia na Alemanha. Nunca teríamos tirados esta foto se não fossem as desventuras anteriores, já não falar da própria desventura que ninguém falava nenhuma das línguas que falávamos na aldeia por isso até a comida tínhamos de pedir a apontar.

Austria
Sem destinos marcados em grande parte da viagem, resolvemos parar em Velden am Wörthersee na Austria. Aqui foi o momento em que tivemos sorte no meio do azar. O comboio que nos levou para a vila era o último a passar no dia. Felizmente conseguimos o último quarto na pousada da vila, caso contrário não tínhamos plano B para sair de lá.

Veneza - Itália
Por mais fantástico que o lugar nesta foto pareça, apesar de ter sido fotografado com a minha câmara, não tenho recordação de ter tirado tal foto. Razão?
Muitas horas a viajar de comboio, um calor insuportável, mochilas às costas e perdidos nos labirintos de Veneza fez com que o primeiro dia desta cidade desaparecesse da memória (se calhar foi melhor assim).

Cala Goloritzè - Sardenha - Itália
Provavelmente a caminhada para esta praia tivesse sido uma das mais fáceis que fizemos até hoje mas na altura que a fizemos não estávamos preparados para ela. Apesar da praia ser de facto tão fantástica quanto parece não a desfrutarmos como merecia.
Tudo por causa do árduo caminho a pé até lá chegar e da falta de acordo de ter sido a melhor escolha para o dia (quente) que estava. Um lugar digno de se voltar para poder tirar uma foto sem uma destas histórias por trás.

Kyoto - Japão
Comer no Japão acabou por ser uma das maiores dificuldades que tivemos em viagem (não, não é como ir ao restaurante Japonês). Apesar de haver comidas fantásticas estávamos lançados à sorte visto não sabermos o nome de nada. E muitas vezes correu mal e as comidas, para nós, eram muito más. Valiam sempre as vistas como a da foto.

Tokyo - Japão
Ver as mensagens na foto parece fantástico, fora o detalhe de não se perceber nada. Visto que, como sempre, fazemos as nossas viagens com tudo organizado por nós não havia tradutores e infelizmente no Japão quase ninguém fala Inglês o que torna a comunicação perto de impossível. Até uma ida à farmácia se tornou um drama. Assim como foram as viagens de metro que não conseguimos perceber o destino. Ainda assim uma das melhores viagens que fizemos.

Ilhas Phi Phi - Tailândia
Esta foto custou-me um dos piores momento em férias até hoje. Um escaldão indescritível no barco enquanto tirava a foto (apesar de ter protetor solar) fez com a Tailândia não ficasse no meu coração até hoje. Depois do escaldão, e no desespero de arrefecer com o ar condicionado, apanhei uma gripe. Só pontos a favor das Phi Phi... :)

Delft - Países Baixos
Apesar do momento de diversão a patinar num canal este foi uma das viagens mais complicadas que tive, embora tivesse sido bem curta. Já estava doente no início e choque térmico com o frio que estava no destino não ajudou tendo passado noites sem dormir com dores.

Marrakesh, Marrocos
Apesar de na foto tudo parecer bem, minutos antes andávamos perdidos em Marrakesh, completamente desnorteados sob um calor arrasador (não fosse África) por várias horas. Apesar de termos mapa a falta de pontos de referência e pessoas na rua para ajudar na zona onde estávamos não ajudou. Finalmente um taxi "salvou-nos" e levou-nos ao nosso destino (que estava numa direção completamente diferente daquela que estávamos a levar)

Hollywood, Los Angels, EUA
Hollywood só fica bem nas fotos. Uma das grande desilusões das nossas viagens. Nesta foto fica o passeio da fama com as estrelas. Aqui pode parecer interessante, ao vivo o interesse é zero.

Sumner - Christchurch - Nova Zelândia
A primeira foto na Nova Zelândia... pode parecer uma aventura fantástica mas mudar de país tem sempre montes de sacrifícios que não ficam descritos em nenhuma foto.

San Francisco - EUA
A minha viagem por São Francisco foi a solo e, azar dos azares, dois dias antes aleijei-me seriamente a esquiar em Lake Tahoe (California). Caminhar era simplesmente DOR. Foram 6 meses de recuperação da lesão. Ainda assim é uma foto feliz com a Golden Gate Bridge por trás.

Rainbow Road - Nova Zelândia
Numa das nossas fotos "clássicas" com o carro, minutos antes tínhamos perdido/partido peças do carro a fazer todo-terreno e minutos depois, por sorte, passamos um portão (que dava acesso a uma passagem) fora de horas que se tivesse fechado significaria que teríamos de fazer um desvio de sete horas para chegar ao nosso destino, que sendo já 19h significaria que seria já de madrugada. Felizmente conseguimos passar (apesar de termos ficado com uma bolha no pneu que nos custou um pneu novo).

Lewis Pass - Nova Zelândia
A minha pior descoberta na Nova Zelândia. Enquanto tirava esta foto fui picado por diversas (imensas) "sandflies". Estas parecem-se com a mosca da fruta que temos em Portugal mas as picadelas dão comichão até à loucura por semanas. Sim SEMANAS... não consigo olhar para esta foto sem pensar simplesmente em coisas más.

Temple Basin - Nova Zelândia
Um dos locais mais fantásticos onde esquiei mas onde atingi o meu limite. Nem 5 minutos depois de tirar esta foto, tomei o caminho errado e fui parar a um penhasco onde não consegui voltar para trás por causa da quantidade de neve. Foto fantástica que acompanha o momento onde provavelmente senti mais medo até hoje. Já agora consegui descer o penhasco (senão não estava aqui hoje a escrever), mas não foi fácil (tirei o pus os skis várias vezes - um erro principiante, visto que nunca se devem tirar os skis, que eu sempre soube - para ver como o ia fazer).

Christchurch - Nova Zelândia
Há momentos, como o desta foto, que são simples e sem grande aventuras, mas que não contam a chuva que apanhamos de seguida que nos fez sair do festival.

Singapura 
Ou este, onde na véspera tivemos de caminhar várias horas com mochilas e Sofia às costas depois de várias horas de avião, naquela que foi a nossa primeira viagem grande com ela. O que nos vale é que o sorriso dela está (quase) sempre lá.

Marlborough Sounds - Nova Zelândia
Por fim fica uma foto das nossas últimas férias... fantástica, mas não conta todo o suor que foi preciso para chegar a este ponto. Já nos sentiamos dormentes de cansaço e isso não aparece numa foto, não se explica sequer.
Mas como em todas estas fotos, "No Pain, No Gain".

Todos este momentos custam e tem histórias menos boas por trás, mas cada vez mais acho que faz parte. Sem estes momentos seriam histórias aborrecidas de fotografias que se tiraram aqui e acolá. Por outro lado não pensem que é tudo feliz e bom nas histórias que se lêem porque tenho a certeza que não e posso confirmar que nas nossas também não são. Ainda assim é o nosso caminho.


sábado, janeiro 02, 2016

Acabar 2015 e começar 2016...


O final de 2015 e o início de 2016... a caminhar... 
Apenas porque sim. 

Temos oportunidades de conhecer locais fantásticos por vivermos na Nova Zelândia e por isso não perdemos essas oportunidades.  
No último post já escrevi acerca dos primeiros dias das nossas caminhadas nestas férias de Verão / Natal. Os locais seguintes que visitamos foram os parques nacionais de Abel Tasman e Kahurangi, no norte da Ilha Sul da Nova Zelândia. Fizemos acampamento na Golden Bay (precisamente entre os dois parques) e fomos alternando os locais a visitar.

Embora o grau de dificuldade dos primeiros dias tenha sido mais alto e as vistas nos pontos mais altos tenham sido fantásticas, a caminhada no Abel Tasman foi sem dúvida a melhor: várias horas pelo meio da floresta a ir ter a praias escondidas dignas de um filme de Hollywood. Visto não terem outros acessos a não ser várias horas a caminhar, estavam completamente vazias, salvo uma ou outra pessoa a fazer o mesmo que nós (ou em alguns casos caminhadas de vários dias). Note-se que mesmo o acesso de carro ao ponto onde se inicia a caminhada é remoto.

Antes do "Abel Tasman", ainda fomos ao "bico do Kiwi" que se consegue ver desenhado na geografia da ilha sul. Aqui foi um local de praias muito abertas onde tivemos oportunidade de passar da costa este para a oeste a pé... em apenas 30 minutos.

Para já ficam algumas fotos do que se pode encontrar por estes lados.
Esperamos que isto ajude a termos mais visitas em 2016... as primeiras já confirmadas chegam em Abril.

Mais um dia de caminhada. Desta vez começou na praia...
A equipa durante a viagem...
Atravessar a de um lado ao outro da ilha em 30 minutos...
A conhecer novos animais ao vivo...
Uma paragem no regresso da caminhada
Lição da viagem: Descer é mais fácil que subir...  
Na praia... no ponto mais distante de onde nasci (pelo menos que estive até hoje)...
Altura de relaxar... 
Passagem todo terreno rumo ao floresta...
Trabalho de equipa. O pai sua e a Sofia bebe para compensar...
A caminhar pelo meio do floresta até à praia...
A primeira de muitas praias secretas similares... 
A última praia onde a pequena descansou...