quinta-feira, outubro 31, 2013

Kia Ora Aotearoa...

A nossa aventura de conhecer Aotearoa (um dos nome oficiais da Nova Zelândia) teve este fim de semana mais um capítulo. Aproveitando um festival de grupos corais em Rotorua, na Ilha Norte, fizemos uma viagem para aproveitar o fim de semana prolongado (devido ao dia do trabalhador que aqui é em Outubro).

Rotorua é uma cidade marcada pela tradição Māori (os indígenas de Aoteoroa que são um terço da população da cidade) e pela intensa actividade vulcânica. Um passeio à beira lago, pelo jardim ou por qualquer parte da cidade tem sempre presente o cheiro a enxofre e os vapores provenientes do interior da terra.

Um fim de semana diferente com os registo fotográficos de sempre... 















terça-feira, outubro 29, 2013

De mudança para o Shire...

Habituados às mudanças, resolvemos fazer mais uma mudança na nossa vida e desta vez resolvemos fazer uma mudança ainda mais radical: uma mudança para o Shire...


Chegados lá começamos a nossa busca pela nossa nova moradia... a nossa "toca"...
Procurámos uma com jardim, uma boa vista e sobretudo adaptada ao nosso tamanho de Hobbit XL, por isso nem todas correspondiam às nossas expectativas...



Finalmente lá acabamos por arranjar o nosso lugar na região de Hobbiton, mais precisamente na Hills Road. Não é muito grande e não tem lugar de garagem (até porque não há carros no Shire, a não ser os puxados por cavalos) mas é sem dúvida um lugar acolhedor. A renda é paga em trabalho para a comunidade.


A vista, que tanto queríamos, é precisamente sobre Hobbiton e ainda por cima sobre o lago. 
Apesar da paisagem ser fantástica achamos que era importante conhecer a vizinhança.


Começamos por bater às portas dos nossos vizinhos do lado...


Mas pelo menos do nosso vizinho que vive acima na rua, um tal de Senhor Baggins, não tivemos resposta. Ouvimos que partiu numa aventura (e devia estar apressado porque deixou a porta meio aberta).


Por causa disso resolvemos ir conhecer as regiões vizinhas...


Até avistarmos ao longe uma adega...


...precisamente antes de uma tempestade se abater sobre nós...


Assim fomos abrigarmos-nos lá dentro com umas bebidas para aquecer... Viemos a descobrir que estávamos no "The Green Dragon"....


Quando o tempo melhorou resolvemos retribuir toda a simpatia e ajudar com as tarefas necessárias para a limpeza dos estragos que a tempestade causou...


Assim aos poucos vamos nos adaptando à vida no Shire, adaptando também os nossos hábitos. Conseguimos ter momentos de diversão e aproveitar as suas festas...



Mas como todas as histórias tem um fim, esta também acaba aqui... junto de outra porta muito especial...


domingo, outubro 20, 2013

Perto de casa e com sabores familiares...

Sem as visitas à família ao fim de semana temos por vezes o desafio de ocupar o tempo de relaxar sem gastar dinheiro.

Por isso um dos nosso objectivos é conhecer tudo o que temos bem perto de nós.
Aos fins de semana temos sempre os mercados da cidade. Este fim de semana fomos ao Riccarton House Farmers Market. Não foi a primeira vez que lá fomos mas desta vez tivemos o regalo de poder comer os, bem Portugueses, "pasteis de nata". Isto graças ao Children's Food Festival (Festival de Comida de Crianças) que fez com que tivéssemos oportunidade de comprar esta comida bem Portuguesa sem ter de cozinhar, procurar receitas e ter o trabalho de fazer (ler post anterior).
Já agora... estavam excelentes (e esgotaram antes do final da manhã).

O resto do fim de semana ficou completo com uma visita ao centro da cidade (picar o ponto de ver a evolução das obras), um churrasco e finalmente mais uma visita à Banks Peninsula. Desta vez à praia em Te Kāio Bay - Tumbledown Bay (clicar para ver localização).

Estas são as fotos de mais um fim de semana em Christchurch e arredores:

Riccarton House Market (no Riccarton Bush)...
Os deliciosos pasteis de nata a serem vendidos em bom Português...
Depois do sabor familiar dos pasteis o som familiar (kind of)
das gaitas de foles...
Há um mês atrás, entre os dois prédios, não se via as colinas
 e erguia-se um prédio de mais de dez pisos...
A caminhada até a praia em Te Kāio Bay...
A praia e as vistas em Te Kāio Bay...


quinta-feira, outubro 17, 2013

Bacalhau à Brás na Nova Zelândia...

Às vezes as coisas mais simples ficam complicadas de se fazer quando ficamos no outro lado do mundo.

Oito anos depois da minha primeira vez... a fazer bacalhau nos Países Baixos foi a vez de o fazermos na Nova Zelândia com uma "nova abordagem".
Assim aqui fica a receita de como fazer bacalhau à Brás na Nova Zelândia:
  • Comprar Red Cod (para os que não dominam a língua Inglesa, "cod" é bacalhau ) - Também se aceitam Blue Cod ou Deap Cod, embora ainda não tenham sido testados.
  • Comprar dois sacos de sal.
  • Salgar o bacalhau durante pelo menos 4 dias (número de dias depende das espessura).
  • Secar o bacalhau ao sol durante pelo menos outros 4 dias (número de dias depende das espessura).
  • Demolhar o bacalhau por um período não superior a um dia (meio dia de preferência).

A segunda fase é fazer as batatas fritas, visto não haver batatas fritas tipo palha que se possa comprar.
Ou seja, é necessário:
  • Cortar as batatas em formato "tipo palha" (bem fino de preferência).
  • Fritar as batatas.
A partir daqui é a receita normal de bacalhau à Brás (para Portugal) que se pode encontrar em diversos sites online. Qualquer coisa como:
  • Fazer o refugado de cebola e azeite numa "wok".
  • Juntar bacalhau desfiado e alho (qb).
  • Deixar passar algum tempo (isto é só termos técnicos que estou a usar aqui).
  • Juntar as batatas fritas.
  • Juntar os ovos batidos.
  • Mexer tudo muito bem.
  • Colocar num prato e enfeitar com azeitonas e afins.

E assim temos bacalhau à Brás... 
Tempo de preparação: 9 dias
Dificuldade: Fácil 
Nível de paciência: Infinitamente grande
Sabor:  VALE MESMO A PENA... TOTALLY WORTH IT... 

(agora temos de começar a fazer isto em grandes quantidades e conservar)

Cinema com estilo...

Comparando os cinemas de Portugal com os da Nova Zelândia, prefiro mil vezes os Portugueses, principalmente por causa das pipocas...
Sim, aqui as pipocas tem duas alternativas: com muito sal ou com pouco sal. NADA DE AÇUCAR!!!

Isso definitivamente ajuda a não irmos tantas vezes ao cinema, mas quando vamos, vamos com estilo:
Fomos ver os Piratas das Caraíbas, mas em vez de ser com a banda sonora do filme, a orquestra tocou ao vivo na sala. Um espectáculo digno de ser visto... e de se ficar com uma profunda admiração pelo trabalho da orquestra. Aqui fica a minha merecida STANDING OVATION...


domingo, outubro 13, 2013

A Nova Zelândia à minha volta...

Sem dúvida que prefiro a fotografia ao vídeo. Para mim a imagem parada parece ficar ali eternizada e ajuda-me muito mais a reviver os momentos. Mas nem sempre esta ajuda a transmitir aos outros aquilo que vemos à nossa volta: Falta a 3ª dimensão. Por isso hoje deixo aqui uns vídeos de momentos à minha volta. Momentos capturados ao longo deste ano na Nova Zelândia.




Se depois de verem os vídeos ficarem com a sensação que nunca há gente nos lugares para onde vamos... ou são mesmo muito poucos, é porque é verdade... passam-se horas nas estradas sem nos cruzarmos com ninguém. 

quinta-feira, outubro 10, 2013

Temperaturas loucas...

No fim de semana passado, depois de esquiar, com parte da neve derretida (as pistas nas cotas mais baixas estavam fechadas), já andava de calções e t-shirt pela cidade. As temperaturas estavam na casa dos vinte e tais... (graus centígrados)

Arrumei os skis e equipamento de neve e o aquecedor foi encostado para o canto.

Hoje, quinta-feira, os aquecedores voltam a estar ligados, as montanhas voltam a estar brancas de neve fresca e as temperaturas esta semana, durante a noite, voltaram a estar nos negativos.

Alguém explica ao S. Pedro que assim não há condições?

domingo, outubro 06, 2013

Da neve para a Primavera...

Hoje ficou a encerrada e época de ski do ano de 2013...
Depois da passagem em Janeiro por Squaw Valley nos EUA e de várias passagens nos últimos meses nas estâncias da Nova Zelândia (Mt Hutt, Cheeseman e Porters) os skis, botas e todo o resto de equipamento de neve vai para o armário até 2014.

E para terminar um dia de neve, e já com a luz do dia até bem mais tarde, foi altura de caminhar uma hora pelos jardins ao lado de casa... Não estivéssemos nós na Primavera e Christchurch fosse a Cidade Jardim.

O que ainda resta do Inverno e o início da Primavera no mesmo dia:

A última descida do ano começou aqui... 
Equipamento daqui para o armário...
Onde está o Wally? Uma flor no meio das flores... 
E assim começa a Primavera...