sábado, setembro 28, 2013

Um ano depois da partida...

Faz hoje (no "nosso" hoje) um ano que partimos de Portugal.

É uma sensação estranha partir-se para um lugar sem bilhete volta. Ainda mais estranho é quando nunca se conheceu esse lugar até esse dia.

Há um ano assim o fizemos. Com bons amigos e família a ir dizer "adeus" no aeroporto, fizemos as malas e não olhamos para trás. Não porque não sentíssemos saudades mas porque às vezes para se abrirem algumas portas temos de fechar algumas janelas.

Fomos super bem recebidos na Nova Zelândia e de facto a sorte acompanhou-nos ao longo deste ano. Conhecemos pessoas fantásticas que nos apoiaram e nos fizeram sentir super integrados num país com uma beleza natural inigualável.

Hoje, um ano depois da partida, mostramos um pouco da nossa vida este ano. Um ano fantástico a dois, no país antípoda daquele que nos viu nascer, exactamente quatro anos depois de termos o nosso dia especial e quase dez anos depois de começarmos a nossa aventura a dois. (clicar aumenta as imagens)

 
































segunda-feira, setembro 23, 2013

Riscos nas aventuras na Nova Zelândia...

A Nova Zelândia é sem dúvida um dos países do mundo com maior beleza natural e, por isso mesmo, há diversos turistas a vir visitar o país em busca destes locais que trazem na imaginação e que os querem ver na realidade.

O problema é que a beleza natural está sujeita à própria natureza e esta nem sempre é um lugar onde segurança das pessoas está acima de tudo o resto.
Por essa razão todos tem de conhecer os seus próprios limites e devem procurar saber o máximo de informações sobre os locais que vão visitar. Quando isso não acontece as consequências podem ser graves.

Um exemplo disso são as mortes que acontecem nos glaciares, onde as pessoas vão a lugares muitas vezes sinalizados como perigosos (mas sem controlo forçado). Este ano já houve duas mortes e em anos anteriores estas também aconteceram, mesmo nos glaciares mais visitados. Muitos vezes apenas na procura de uma foto mais aventureira.

Nestas últimas semanas tem também sido noticiadas várias as mortes na procura de algo mais na natureza. Duas foram de alpinistas no Monte Cook, o ponto mais alto da ilha, que caíram enquanto o escalavam em acidentes distintos. Ainda há diversos outros acidentes em barcos (muitas vezes os ocupantes não levam os coletes).

Mas por vezes há coisas que não são fáceis de controlar/evitar: A semana passada o carro de dois turistas Canadianos foi levado por um deslizamento de terra numa estrada no território mais remoto. Apesar de vários motoristas terem voltado para trás devido ao mau tempo a carrinha deles avançou na direcção mais remota (afinal a estrada estava aberta e aqui eles fecham as estradas quando não há segurança) e acabou por deslizar para um rio sendo depois arrastada por este.

Muitos "aventureiros" vem para este país pelo sua beleza mas é um local onde a natureza de facto impera e por isso tem que se ter cuidados acrescidos. Recomendo quem tenha intenção de visitar a natureza remota da Nova Zelândia (que de facto vale a pena a visita) a visitar esta página. São alguns passos que ajudam a ter uma pouco mais de segurança (dentro do possível). Depois é estar preparado para todas possibilidades.

sexta-feira, setembro 13, 2013

America's Cup - Team New Zealand...

Já falei aqui um pouco de desportos na Nova Zelândia.
Já falei como gostam do críquete e como o râguebi é o desporto equivalente ao futebol na Europa.
Aprendi muito sobre estes desportos, mas até estava à espera disso. Não estava à espera era da loucura com a America's Cup...

Neste últimos dias tem estado a decorrer a 34ª edição desta prova de vela na baía de São Francisco. Segundo encontrei esta é a mais antiga competição desportiva ainda a decorrer. Será qualquer coisa como a F1 dos barcos (o que eu ponho um pouco em causa, a parte de serem barcos,  visto que mais parece que eles voam)... De facto super interessante de assistir.

A final deste ano está a ser disputada entre a Emirates Team New Zealand contra a Oracle USA. Depois da jornada de hoje o resultado está:
Oracle USA (-1) - 6 ET New Zealand
(nove vitórias para uma equipa se sagrar campeã)

Sim, os Estados Unidos para além de estarem a ser completamente dizimados em prova ainda começaram a prova com dois pontos negativos por terem feito "batota" durante uma das provas antes da final.

Uma das coisas mais fantástica que aprendi sobre esta prova (que se realiza, mais ou menos, a cada 3 anos, embora às vezes possa ser mais, tipo campeonato do mundo de futebol) é que a equipa vencedora da prova decide as regras da próxima competição (sim, as regras). Para além disso a equipa vencedora escolha o local da próxima competição. Assim, se a Nova Zelândia conseguir ganhar mais três provas será de esperar em três anos a prova em Auckland. A final é feita a dois, ou seja, o campeão só é desafiado por uma outra equipa (que tem de ganhar uma outra competição qualquer - definido nas regras - para ter o direito de desafiar o campeão).

Mas porque digo que é a loucura?
Imaginem uma rádio como a RFM, popular mas que não passa desporto, só o ocasional noticiário, parar a emissão para relatar partes de uma corrida. Os nossos colegas de trabalho todos a falar disso no intervalos e com os monitores sempre com um quadrado com a transmissão em directo da competição. Ser notícia de abertura dos telejornais.
O investimento nestes barcos de MILHÕES de dólares.

O facto da Nova Zelândia estar a cilindrar os Estados Unidos (como já devem perceber, a equipa campeã em título) está a ajudar imenso, principalmente por muitas vezes começar atrás e depois ultrapassar e deixar a equipa de São Francisco a milhas (literalmente). Isto ao ponto da equipa America já ter trocado de estratega da equipa a meio da prova (como trocar de treinador ou capitão de equipa a meio do campeonato do mundo).

É a loucura, mas tenho de admitir que estou rendido por causa das velocidades loucas e do que fazem.
Vejam aqui as provas de hoje para terem uma ideia...





domingo, setembro 08, 2013

Um concerto especial na nova catedral...

Ao fim de onze meses (e já a faltar só um mês para completarmos o primeiro ano na Nova Zelândia) é interessante sentirmo-nos integrados no país do mundo mais distante daquele onde nascemos.

Um sinal disso tivemos neste Sábado no primeiro concerto da Catarina no coro de que faz agora parte. Isto na presença de várias das pessoas que nos são mais próximas por cá que foram lá assistir por nossa causa.


Para os interessados em ver um pouco deste concerto, com uma voz Portuguesa, na nova Catedral (temporária) de Christchurch aqui fica um vídeo (no final do video, se virem os recomendados encontram os outros do mesmo dia).


sábado, setembro 07, 2013

God Defend New Zealand...

Muitos países tem apenas um hino oficial mas isto não acontece com todos.
A Nova Zelândia é um exemplo disso. Tem dois hinos oficiais: o "God Save the Queen" usado em vários países da Commonwealth e o "God Defend New Zealand". Nenhum  dos dois com a "força" d'A Portuguesa mas, pelo menos o segundo, muito adaptado à realidade do país.

Como nestas coisas não há nada como ouvir, deixo aqui um dos dois hinos da Nova Zelândia com algumas imagens daqui. E é com felicidade que digo que já tivemos em alguns destes locais fantásticos...