quinta-feira, julho 26, 2012

Vontades...

A vontade de escrever é muita. Há muito que falar, há muito que desabafar, mas há momentos em que temos de guardar coisas para nós, ou pelo menos para os que estão próximos de nós pois há um tempo para tudo e tudo tem um tempo.

Independentemente disso, aproveitei aqui eu o meu tempo, e esta semana estive a ler um artigo do P3 que foi daqueles que fez bater ansiosamente o coração. Foi a ansiedade de quem sabe o que se passa no outro lado. A frase "...e já vivi a solidão de chegar a sítios onde ninguém me espera..." é daqueles que tenta descrever um sentimento indescritível. 

Quem me conhecia no momento da minha primeira partida para a Holanda ou acompanhou os momentos em que a solidão bateu e viu como a tentei enganar provavelmente entende melhor. Ou entendem os meus diversos familiares, amigos e conhecidos que agora tantas vezes fazem (ou já fizeram) estas viagens para países como Angola, Brasil, Moçambique ou até para destinos mais perto como Espanha ou Reino Unido.

Há coisas boas em ir para fora, mas muitas vezes os que cá ficam esquecem-se que há o reverso da moeda em tudo que se faz e atiram: "lá fora é que é, se eu pudesse também ia". A verdade é que a maior parte o pode fazer (diria 99% das pessoas) mas muitos escolhem não o fazer pelas mais diversas razões, são opções (e não há desculpas a dizer). Cada um tem é que estar consciente das escolhas que faz e ser feliz com essas mesmas escolhas. Tenho amigos a fazerem-no com crianças bebés ao colo, crianças da primária, sozinhas, filhos únicos, de tudo um pouco... e de novo, são opções.

Disto só gostava de acrescentar uma frase que Sónia Balacó escreveu na sua crónica: "A saudade, que só se tem em ausência, é ainda assim um saco que nunca se esvazia, mesmo quando estamos juntos todos os dias, porque são dias contados". É a mais pura das verdades. É uma saudade diferente a que se tem em ausência e nunca realmente se esvazia.


Acima de tudo, estamos todos no mesmo barco e somos todos pessoas...

domingo, julho 15, 2012

3 anos de viagens...

É difícil apagar três anos...
De facto há momentos muito complicados em três anos mas há momentos muito bons.

Amo viajar. Adoro conhecer lugares novos, sempre senti isso cá dentro de mim. Espero que o futuro me vá fazer ainda conhecer muitos mais lugares novos, mas acima de tudo muitas pessoas novas.

Nos últimos 3 anos conheci alguns locais novos, revisitei os preferidos. Resumir em palavras os novos é sempre complicado. Gosto de mostrar às pessoas que há lugar completamente diferentes e que eles estão realmente lá, não são imaginários. Resolvi recordá-los com fotos:

Ainda em 2009 bati o meu record de distância à minha cidade Natal: a visita foi ao Japão (Tokyo, Kamakura, Kyoto e Nara, as quatro capitais do império foram o destino)

Quase sempre com a minha companheira de viagem, o Palácio Real de Bankok também esteve nos destinos.

Ainda na Tailândia uma visita à antiguidade com uma passagem por Ayutthayaa...

... e pela floresta tropical.

No Canadá, e em 2010, uma visita a Ontário com paragem na fabulosa vista sobre Toronto.

Fantásticas também as vistas sobre as cataratas de Niagara (sempre na minha mente desde o filme do Super Homem)

A cidade que nunca dorme... Nova York.

E a capital dos Estados Unidos da América, Washington D.C..

Descobri ainda um lugar novo... o céu, porque lá é que está o limite. E recomendo vivamente que o visitem assim de passagem.

Depois da Europa, Ásia, América do Norte, em 2011 foi a vez de África. Marrakech em Marrocos foi o destino: uma cidade obrigatória de visitar pelo menos uma vez.

Também em Marrocos nada como aproveitar para uma caminha pelas montanhas.

Já em 2012, e de volta à Europa, depois de duas visitas rápidas a Londres e aos Países Baixos, foi a vez dos Alpes Franceses e as suas paisagens de tirar a respiração.

Isto só para recordar os destinos mais distantes porque visitar o nosso País e tudo que ele tem de belo é obrigatório antes de começar a ver o que há lá fora. Depois de todas as visitas por esse mundo o Porto continua a ser a cidade mais bela de todas. 


Quanto ao futuro? Vamos a ver o que o ele nos trás. Convém recordar que grande parte destas viagens não podiam ter sido feitas (pelo menos com a diversão e ao preço que foram) sem a ajuda dos amigos. Também deles viveram estes meus 3 anos. São os amigos que ajudam a passar os maus momentos, e sem os quais dificilmente sobrevivemos.

sexta-feira, julho 13, 2012

O Regresso do Jedi

Já lá vão mais de 3 anos desde a última vez que escrevi aqui. Surgiram HI5's e Facebook's. Há Twitters e LinkedIn's... mas o bom filho há casa volta.

Já lá vão mais de 3 anos e parece que foi noutra vida. E citando um provérbio Hindu: "Nada mudou. Só eu mudei, portanto tudo mudou."

Há razões para aqui voltar. Há um querer pensar alto... Não impor a minha opinião mas desabafar para quem quiser ouvir.

Devagar vou voltar. Porque tem sido incrível recordar os meus anos desde 2005 só porque aqui escrevi e quero voltar a ter o sentimento... (e os últimos 3 anos ficam apagados)